quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Uma oração do atribulado no caso de ele se debilitar e derramar sua preocupação diante do próprio Jeová.




1 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração;
E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda.
2 Não escondas de mim a tua face no dia em que eu estiver em sério aperto.
Inclina-me teu ouvido;
No dia em que eu chamar, apressa-te em responder-me.
3 Pois os meus dias findaram igual à fumaça,
E meus próprios ossos ficaram incandescentes como uma lareira.
4 Meu coração foi golpeado como a vegetação e se ressecou,
Pois me esqueci de comer meu alimento.
5 Por causa do som do meu suspiro
Apegaram-se-me os ossos à carne.
6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo.
Tornei-me como o mocho dos lugares desolados.
7 Fiquei emaciado
E tornei-me igual a um pássaro isolado sobre o telhado.
8 Meus inimigos me têm vituperado o dia inteiro.
Os que me fazem de tolo juraram até mesmo por mim.
9 Pois comi as próprias cinzas como pão;
E as coisas que bebo misturei até mesmo com choro,
10 Por causa da tua verberação e da tua indignação;
Pois tu me levantaste para me lançar fora.
11 Meus dias são como a sombra que declinou
E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação.
12 Quanto a ti, ó Jeová, morarás por tempo indefinido,
E a recordação de ti será para geração após geração.
13 Tu mesmo te levantarás, terás misericórdia com Sião,
Pois é a época para ser-lhe favorável,
Porque chegou o tempo designado.
14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela
E dirigem seu favor ao seu pó.
15 E as nações temerão o nome de Jeová
E todos os reis da terra a tua glória.
16 Porque Jeová há de construir Sião;
Ele terá de aparecer na sua glória.
17 Ele há de virar-se para a oração dos que foram despojados [de tudo]
E não desprezará a sua oração.
18 Isto está escrito para a geração futura;
E o povo que vai ser criado louvará a Jah.
19 Pois ele olhou para baixo desde a sua altura sagrada,
Jeová mesmo, dos próprios céus, olhou para a terra,
20 Para ouvir o suspiro do prisioneiro,
Para soltar os destinados à morte;
21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião
E seu louvor em Jerusalém,
22 Quando os povos estiverem reunidos juntos,
E para os reinos servirem a Jeová.
23 No caminho ele atribulou meu poder,
Encurtou meus dias.
24 Passei a dizer: “Ó meu Deus,
Não me retires na metade dos meus dias;
Teus anos são por todas as gerações.
25 Há muito lançaste os alicerces da própria terra
E os céus são o trabalho das tuas mãos.
26 Eles é que perecerão, mas tu mesmo continuarás de pé;
E todos eles se gastarão como a roupa.
Tu os substituirás assim como a uma vestimenta e eles terminarão a sua vez.
27 Mas tu és o mesmo, e os teus próprios anos não se completarão.
28 Os filhos dos teus servos continuarão residindo;
E sua própria descendência será firmemente estabelecida diante de ti.”


sábado, 13 de agosto de 2011

Reunidos com amados irmãos











Foi muito agradável rever nossos queridos irmãos da Cong. Jd. Belvedere.
Pena que não deu para tirar foto com todos.
Agradeço a Jeová o privilégio de rever estes amorosos irmãos.


Lembrei-me das palavras do salmista no Salmo 84.
Vale a pena ler e meditar nele. 




Ele salvará o seu povo dos pecados deles. — Mat. 1:21.