sábado, 31 de março de 2012

Jesus empreendeu uma viagem . . . ensinando . . . e pregando as boas novas do reino. — Mat. 9:35.


O que moveu Jesus a trabalhar incansavelmente no seu ministério? Com base na profecia de Daniel, Jesus podia saber onde estava em relação ao cronograma de Jeová. (Dan. 9:27) Assim, seu ministério terrestre terminaria “na metade da semana”, ou depois de três anos e meio. Pouco depois de sua entrada triunfante em Jerusalém na primavera de 33 EC, Jesus disse: “Chegou a hora para o Filho do homem ser glorificado.” (João 12:23) Embora soubesse que a sua morte era iminente, Jesus não fez disso o foco na sua vida, ou a razão principal para trabalhar arduamente. Em vez disso, concentrou-se em usar toda oportunidade para fazer a vontade de seu Pai e mostrar amor pelos humanos. 
w10 15/12 1:5, 6

"A Celebração Noturna do Senhor - uma celebração que honra a Deus"
Leia sobre este tema: aqui

Para nos preparar para este dia mais importante do ano
 vamos ler as passagens da Bíblia juntos.

Leitura da Bíblia para a Comemoração:
(Eventos após o pôr do sol: 9 de nisã)
Marcos 14:3-9


quinta-feira, 29 de março de 2012

Não saia da vossa boca nenhuma palavra pervertida, mas a que for boa para a edificação. — Efé. 4:29.


O apóstolo Paulo não diz apenas o que não devemos fazer; ele nos diz o que devemos fazer. Influenciados pelo espírito de Deus seremos motivados a ‘falar o que for bom para a edificação, para conferir aos ouvintes aquilo que é favorável’. E não devemos permitir que saia de nossa boca nenhuma “palavra pervertida”. O termo grego para ‘pervertido’ tem sido aplicado a fruta, peixe ou carne podres. Assim como sentimos repulsa de alimentos podres, ou estragados, nós odiamos a linguagem que Jeová considera má. A nossa linguagem deve ser decente, bondosa, “temperada com sal”. (Col. 3:8-10; 4:6) As pessoas devem poder ver que somos diferentes ao nos ouvirem falar. Portanto, ajudemos outros por falar o que for ‘bom para a edificação’ deles. E digamos o mesmo que o salmista, que cantou: “As declarações de minha boca e a meditação de meu coração, tornem-se elas agradáveis diante de ti, ó Jeová.” — Sal. 19:14. 
w10 15/5 4:12, 13

Tenha um dia abençoado
Rose


quarta-feira, 28 de março de 2012

Deus é fiel, e ele não deixará que sejais tentados além daquilo que podeis aguentar, mas, junto com a tentação, ele proverá também a saída, a fim de que a possais aguentar. — 1 Cor. 10:13.


Jeová nos sustenta por meio de seu espírito santo. Esse espírito também nos faz recordar pensamentos bíblicos de que precisamos para resistir à tentação. (João 14:26) Assim, não somos induzidos a seguir um proceder errado. Por exemplo, nós entendemos as questões inter-relacionadas da soberania de Jeová e da integridade humana. Com esse conhecimento, muitos foram sustentados por Deus para permanecer fiéis até a morte. Mas “a saída” para eles não foi a morte; foi a ajuda de Jeová que possibilitou perseverarem até o fim sem cederem à tentação. Ele pode fazer o mesmo por nós. De fato, ele também usa seus anjos fiéis em nosso favor como servos públicos “enviados para ministrar aos que hão de herdar a salvação”. — Heb. 1:14.
 w10 15/11 4:16, 21


segunda-feira, 26 de março de 2012

Decerto é em vão que purifiquei meu coração. — Sal. 73:13.


Você já se fez perguntas como as registradas pelo salmista no Salmo 73:1-12? Em caso afirmativo, não é preciso sentir-se excessivamente culpado, ou achar que sua fé está em colapso. Na verdade, vários servos de Jeová, incluindo alguns que ele usou para escrever a Bíblia, tiveram pensamentos parecidos com esses. (Jó 21:7-13; Sal. 37:1; Jer. 12:1; Hab. 1:1-4, 13) De fato, todos os que querem servir a Jeová precisam entender bem e aceitar a resposta a esta pergunta: será que servir e obedecer a Deus é a melhor coisa a fazer? Isso se relaciona com a questão levantada por Satanás no jardim do Éden. Está no centro da questão universal da soberania divina. (Gên. 3:4, 5) Portanto, todos nós faremos bem em considerar o assunto levantado pelo salmista. Será que devemos invejar as arrogantes pessoas más que parecem estar se dando bem na vida? Devemos nos ‘apartar’ de servir a Jeová e imitá-las? É óbvio que isso é justamente o que Satanás gostaria que fizéssemos. 
w10 15/6 1:9, 10


sábado, 24 de março de 2012

A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, rogai ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a sua colheita. — Mat. 9:37, 38.


Jeová Deus está atendendo a esse tipo de oração de um modo sem precedentes. No ano de serviço de 2009, o número de congregações das Testemunhas de Jeová no mundo aumentou em 2.031, chegando a 105.298. Em média, 757 pessoas foram batizadas a cada dia! Esse crescimento cria a necessidade de irmãos qualificados para tomar a dianteira no ensino e no pastoreio nas congregações. (Efé. 4:11) Ao longo das décadas, Jeová tem suscitado homens qualificados para cuidar das necessidades de Suas ovelhas, e confiamos que ele continuará a fazer isso. A profecia em Miqueias 5:5 garante que nos últimos dias os servos de Jeová teriam “sete pastores” e “oito caudilhos [ou, líderes]”, o que significa que haveria um bom número de homens capazes para tomar a dianteira entre eles. 
w10 15/5 3:1, 2

sexta-feira, 23 de março de 2012

Acautelai-vos: talvez haja alguém que vos leve embora como presa sua, por intermédio de filosofia e de vão engano, segundo a tradição de homens, segundo as coisas elementares do mundo e não segundo Cristo. — Col. 2:8.


Essa exortação do apóstolo Paulo torna-se ainda mais urgente à medida que se aproxima o dia de Jeová, pois seu ‘calor’ sem precedentes derreterá todos “os elementos” do sistema de Satanás, expondo-os como totalmente desprovidos de qualidades à prova de fogo. (2 Ped. 3:10) Isso faz lembrar as palavras de Malaquias 4:1: “Vem o dia que arde como fornalha, e todos os presunçosos e todos os que praticam a iniquidade terão de tornar-se como restolho. E o dia que virá certamente os devorará.” Assim, é muito importante ‘resguardar nosso coração’ por seguir os padrões divinos na escolha de amigos, matéria de leitura, diversão e sites que desejamos visitar na internet. — Pro. 4:23. 
w10 15/7 1:7

quinta-feira, 22 de março de 2012

Livrará ao pobre que clama por ajuda. — Sal. 72:12.


Essas palavras, aparentemente escritas pelo Rei Davi do Israel antigo, são muito consoladoras. Anos antes de escrevê-las, ele havia sentido remorso após cometer adultério com Bate-Seba. Naquele tempo, Davi suplicou a Deus: “Segundo a abundância das tuas misericórdias, extingue as minhas transgressões. . . . Meu pecado está constantemente diante de mim. . . . Eis que em erro fui dado à luz com dores de parto, e em pecado me concebeu minha mãe.” (Sal. 51:1-5) Na sua misericórdia, Jeová leva em conta nossa herdada condição pecaminosa. Jeová entende nossa situação lamentável. Mas, conforme predito, o Rei ungido de Deus “terá dó daquele de condição humilde e do pobre, e salvará as almas dos pobres”. (Sal. 72:13) Como se dará esse livramento? O Salmo 72 responde. Referindo-se ao reinado de Salomão, filho de Davi, esse cântico nos dá vislumbres de como o governo do Filho de Deus, Jesus Cristo, livrará a humanidade da aflição. 
w10 15/8 4:1, 2


quarta-feira, 21 de março de 2012

Todas as coisas . . . que quereis que os homens vos façam, vós também tendes de fazer do mesmo modo a eles. — Mat. 7:12.

Quando nossos irmãos mostram que nos apreciam, nós nos sentimos encorajados. (Pro. 25:11) Uma sincera expressão de apreço e respeito nos edifica. Dá-nos mais força para prosseguir com alegria e determinação no caminho da vida. Você sem dúvida já deve ter sentido isso. Assim sendo, visto que Jeová conhece a nossa necessidade inata de ser respeitados, por meio de sua Palavra ele apropriadamente nos exorta: “Esforcem[-se] para tratar uns aos outros com respeito.” (Rom. 12:10, Bíblia na Linguagem de Hoje) Todos os cristãos que acatam esse perene conselho contribuem para um clima de cordialidade e amor na fraternidade cristã. Assim, faremos bem em parar e nos perguntar: ‘Quando foi a última vez que expressei por palavras e ações meu sincero respeito por um irmão ou uma irmã na congregação?’ — Rom. 13:8. 
w10 15/10 3:11, 12

Tenha uma boa noite
Rose

sexta-feira, 16 de março de 2012

Quando quero fazer o que é direito, está presente em mim aquilo que é mau. — Rom. 7:21.

Paulo amava a Jeová, mas, às vezes, achava difícil fazer o que é direito. Como ele encarava esse conflito no seu íntimo? “Homem miserável que eu sou!”, escreveu. (Rom. 7:22-24) Você entende os sentimentos de Paulo? Acha difícil, às vezes, fazer o que é direito? Isso lhe causa frustração, como no caso dele? Se assim for, não desanime. Paulo venceu os desafios que enfrentou, e o mesmo pode acontecer com você. Paulo foi bem-sucedido porque se guiava por “palavras salutares”. (2 Tim. 1:13, 14) Assim, ele adquiriu a sabedoria e o entendimento necessários para enfrentar desafios e tomar boas decisões. Jeová Deus pode ajudar você a adquirir sabedoria e entendimento. (Pro. 4:5) Ele proveu na sua Palavra, a Bíblia, os melhores conselhos possíveis. — 2 Tim. 3:16, 17. 
w10 15/11 1:1, 2


quarta-feira, 14 de março de 2012

Não vos vingueis, amados, porém, . . . persisti em vencer o mal com o bem. — Rom. 12:19, 21.

Um grupo de 34 irmãos viajava de avião para assistir à dedicação de uma sede das Testemunhas de Jeová quando um problema mecânico atrasou o voo. O que era para ser uma escala de reabastecimento de uma hora transformou-se numa provação de 44 horas num aeroporto remoto, sem comida, água e sanitários adequados. Muitos passageiros se irritaram e ameaçaram os funcionários do aeroporto. Mas os irmãos permaneceram calmos. Por fim, as Testemunhas de Jeová chegaram ao destino a tempo de assistir à parte final do programa de dedicação. Mesmo cansados, não saíram logo após o evento, pois queriam se associar com os irmãos locais. Mais tarde, souberam que seu exemplo de paciência e autocontrole não passou despercebido. Um dos outros passageiros disse à empresa aérea: “Se não fossem os 34 cristãos a bordo, teria havido um tumulto no aeroporto.” 
w10 15/6 3:1, 2


segunda-feira, 12 de março de 2012

Vem o furor de Deus sobre os filhos da desobediência. — Efé. 5:6.


‘O furor de Deus virá’ sobre todos os que sem se arrependerem entregam-se a coisas como fornicação, piadas obscenas e “impureza de toda sorte”, que incluiria ver pornografia. (Efé. 5:3-5) O nosso apreço pelo resgate deve manter-nos bem ativos em “ações de devoção piedosa”. (2 Ped. 3:11) Assim sendo, reservemos bastante tempo para orações regulares e sinceras, estudo pessoal da Bíblia, frequência às reuniões, adoração em família e zelosa atividade de pregação do Reino. E ‘não nos esqueçamos de fazer o bem e de partilhar as coisas com outros, porque Deus se agrada bem de tais sacrifícios’. (Heb. 13:15, 16) Quando o furor de Jeová se manifestar contra este mundo mau, nós nos sentiremos muito felizes de termos exercido fé no resgate. E no novo mundo, prometido por Deus, seremos eternamente gratos por essa provisão que nos salvou do furor de Deus. — João 3:16; Rev. 7:9, 10, 13, 14. 
w10 15/8 2:18-20

Tenha um lindo dia
Rose

terça-feira, 6 de março de 2012

O nascido será chamado santo, Filho de Deus. — Luc. 1:35.



Cedo na vida de Jesus, Maria pelo visto revelou a ele certos fatos a respeito de seu nascimento. Assim, certa ocasião, quando Maria e o pai adotivo de Jesus, José, o encontraram no templo de Deus, o jovem Jesus perguntou: “Não sabíeis que eu tenho de estar na casa de meu Pai?” (Luc. 2:49) Evidentemente, desde jovem Jesus sabia que era Filho de Deus. Portanto, magnificar a justiça de Deus era muito importante para ele. Jesus mostrou grande interesse em assuntos espirituais por frequentar reuniões para adoração. Com sua mente perfeita, ele sem dúvida assimilou tudo o que ouviu e leu. (Luc. 4:16) Além disso, Jesus tinha outro bem muito precioso — um corpo humano perfeito que podia ser sacrificado em favor da humanidade. Quando foi batizado, ele orava e talvez estivesse pensando nas palavras proféticas do Salmo 40:6-8. — Luc. 3:21; Heb. 10:5-10.
 w10 15/8 1:6, 7



domingo, 4 de março de 2012

[Deus] se torna o recompensador dos que seriamente o buscam. — Heb. 11:6.


Note que Jeová recompensa os que “seriamente o buscam”. O termo usado aqui no idioma original dá a ideia de esforço intenso e concentrado. Quanta certeza isso deve nos dar de que a bênção se tornará realidade! A sua fonte é o único Deus verdadeiro, “que não pode mentir”. (Tito 1:2) Ele tem demonstrado ao longo dos milênios que suas promessas são totalmente confiáveis. O que ele diz nunca falha; suas palavras sempre se cumprem. (Isa. 55:11) Portanto, podemos ter plena confiança de que, se tivermos genuína fé, ele nos recompensará. No entanto, não podemos ter uma boa relação com Jeová se desprezarmos aqueles a quem Jesus designou para cuidar de seus “bens”. Sem a ajuda do “escravo fiel e discreto” não entenderíamos o pleno significado das coisas que lemos na Palavra de Deus nem saberíamos como aplicá-las. (Mat. 24:45-47) Pôr em prática o que aprendemos das Escrituras nos garante a bênção de Deus.
 w10 15/9 1:6, 7


sábado, 3 de março de 2012

Tornai-vos meus imitadores, assim como eu sou de Cristo. — 1 Cor. 11:1.


Jesus foi um modelo perfeito de zelo e devoção para todos os seus seguidores. Foi isso o que o apóstolo Paulo destacou ao exortar os irmãos a seguirem seu exemplo, como mostram as palavras do texto de hoje. De que forma Paulo imitava a Cristo? Em especial por não poupar nenhum esforço na pregação das boas novas. Nas suas cartas a congregações, há expressões como “não sejais indolentes nos vossos quefazeres”, “trabalhai como escravos para Jeová”, “tendo sempre bastante para fazer na obra do Senhor” e “o que for que fizerdes, trabalhai nisso de toda a alma como para Jeová”. (Rom. 12:11; 1 Cor. 15:58; Col. 3:23) Paulo nunca se esqueceu do contato que teve com o Senhor Jesus Cristo a caminho de Damasco e das palavras de Jesus que o discípulo Ananias com certeza lhe transmitiu: “Este homem é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome às nações, bem como a reis e aos filhos de Israel.” — Atos 9:15; Rom. 1:1, 5; Gál. 1:16. 
w10 15/12 2:4

Lindo sábado para você
Rose

quinta-feira, 1 de março de 2012

Não te envergonhes do testemunho a respeito de nosso Senhor. — 2 Tim. 1:8.



Para resistir à pressão de colegas, você precisa primeiro convencer-se de que suas crenças e padrões são corretos. (2 Cor. 13:5) A convicção o ajudará a ser destemido, embora você talvez seja tímido. (2 Tim. 1:7) Mas, mesmo para uma pessoa destemida, pode ser difícil ficar firme em favor de algo que ela não acredita de todo o coração. Assim, por que não provar a si mesmo que aquilo que lhe ensinaram da Bíblia é realmente a verdade? Comece com as coisas básicas. Por exemplo, você acredita em Deus e tem ouvido outros expressarem fé na sua existência. Então, pergunte-se: ‘O que me convence de que Deus existe?’ O objetivo dessa pergunta não é levantar dúvidas, mas sim fortalecer a sua fé. Pergunte-se também: ‘Por que estou convencido de que estamos nos “últimos dias”?’ (2 Tim. 3:1-5) ‘O que me faz crer que os padrões de Jeová são para o meu bem?’ — Isa. 48:17, 18.
 w10 15/11 2:6

Jeová abençoe seu dia
Rose