quarta-feira, 25 de julho de 2012

Todos nós tropeçamos muitas vezes. — Tia. 3:2.


Apesar de suas melhores intenções, até mesmo familiares e nossos queridos irmãos espirituais às vezes talvez digam sem pensar algo que nos magoe. Em vez de logo ficar ofendido, analise com calma o possível motivo de terem falado assim. (Ecl. 7:8, 9) Estavam sob pressão ou temerosos, não se sentiam bem ou enfrentavam algum problema pessoal ou outro? Reconhecer esses fatores pode nos ajudar a entender por que as pessoas às vezes dizem e fazem coisas que não deviam. Isso, por sua vez, pode nos motivar a perdoá-las. Todos nós já falamos ou fizemos coisas que magoaram outros, e esperamos que bondosamente nos tenham perdoado. (Ecl. 7:21, 22) Jesus disse que para sermos perdoados por Deus temos de perdoar outros. (Mat. 6:14, 15; 18:21, 22, 35) Portanto, devemos ser rápidos em nos desculpar e em perdoar, mantendo assim o amor — “o perfeito vínculo de união” — na família e na congregação. — Col. 3:14.
 w10 15/6 4:20, 21

Jeová abençoe seu dia
Rose

domingo, 22 de julho de 2012

Nós instamos convosco para que não aceiteis a benignidade imerecida de Deus e desacerteis o propósito dela. — 2 Cor. 6:1.


O objetivo da benignidade imerecida de Deus é ‘reconciliar um mundo consigo mesmo’ por meio de Cristo. (2 Cor. 5:19) Será que reconhecemos que agora é o tempo para nos dedicar com redobrado zelo a soar a chamada “sede reconciliados com Deus”? (2 Cor. 5:20) A nossa tarefa não é simplesmente dizer às pessoas que, caso se voltem para Deus, ele as ajudará a resolver todos os seus problemas e elas se sentirão melhor. Muitos procuram apenas isso quando vão a uma igreja, e as igrejas anseiam corresponder a esse desejo. (2 Tim. 4:3, 4) Esse não é o objetivo de nosso ministério. As boas novas que pregamos é que Jeová, por amor, está disposto a perdoar transgressões por meio de Cristo. Assim, as pessoas podem libertar-se da alienação e reconciliar-se com Deus. (Rom. 5:10; 8:32) “O tempo especialmente aceitável”, porém, está chegando depressa ao fim. — 2 Cor. 6:2. 
w10 15/12 2:13-15

Um lindo dia para você
Rose

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Tomai a dianteira em dar honra uns aos outros. — Rom. 12:10.


Há muitas maneiras de honrar os irmãos. Por exemplo, além de nosso tempo, devemos dar-lhes também nossa atenção. Jeová dá o exemplo. O salmista Davi declara: “Os olhos de Jeová estão atentos aos justos e seus ouvidos estão atentos ao seu clamor por ajuda.” (Sal. 34:15) Nós nos esforçamos em imitar a Jeová por voltar os olhos e os ouvidos — nossa plena atenção — aos nossos irmãos, em especial quando nos pedem ajuda. Por fazermos isso, nós os honramos. Também buscamos oportunidades para sermos os primeiros em expressar honra a todos, incluindo os humildes. Por darmos esses passos, fortalecemos os vínculos de amor e união fraternal na congregação. Portanto, continuemos todos não apenas a dar honra mas, em especial, a tomar a dianteira em honrar uns aos outros. Você está decidido a fazer exatamente isso? 
w10 15/10 3:2, 19, 20

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Pus o meu refúgio no Soberano Senhor Jeová. — Sal. 73:28.


“Soberania” significa supremacia em poder ou em governo. Um soberano exerce autoridade suprema. Há boas razões para considerar Jeová Deus como o Supremo. (Dan. 7:22) Como Criador, Jeová Deus é o Soberano da Terra e do Universo. (Rev. 4:11) Ele é também nosso Juiz, Legislador e Rei, pois combina em si mesmo os poderes judicial, legislativo e executivo do governo universal. (Isa. 33:22) Visto que devemos nossa existência a Deus e dependemos dele, temos de encará-lo como Soberano Senhor. Seremos motivados a apoiar sua elevada posição se sempre tivermos em mente que é “Jeová [quem] estabeleceu firmemente seu trono nos próprios céus; e seu próprio reinado tem mantido domínio sobre tudo”. (Sal. 103:19; Atos 4:24) Para apoiar a soberania de Jeová, temos de manter nossa integridade a ele.
 w10 15/11 4:4-6

Tenha um lindo dia (Muitooo frio)
Rose

terça-feira, 17 de julho de 2012

Se alguém de vós tiver falta de sabedoria, persista ele em pedi-la a Deus, pois ele dá generosamente a todos, e sem censurar; e ser-lhe-á dada. — Tia. 1:5.


Você acredita nessa declaração inspirada? O cristão talvez ache que lhe falta sabedoria para cuidar de responsabilidades congregacionais. Se esse for o caso, talvez possa ganhar sabedoria por aplicar-se mais ao estudo da Palavra de Deus e das publicações bíblicas. Seria bom se perguntar: ‘Tiro tempo para estudar a Palavra de Deus e oro por sabedoria?’ Em resposta à oração de Salomão, Deus lhe deu “um coração sábio e entendido” que o habilitou a discernir o bem do mal ao fazer julgamentos. (1 Reis 3:7-14) É verdade que o caso de Salomão era especial. Mas é certo que Deus dará sabedoria aos homens que têm responsabilidades congregacionais, habilitando-os assim a cuidar de Suas ovelhas. — Pro. 2:6. 
w10 15/5 3:12


segunda-feira, 16 de julho de 2012

Sobe em paz para a tua casa. Vê, escutei a tua voz para ter consideração para com a tua pessoa. — 1 Sam. 25:35.


O Rei Davi teve muitas oportunidades de se vingar, mas nunca fez isso. (1 Sam. 24:3-7) Certa ocasião, porém, ele quase cedeu à ira. Um homem rico chamado Nabal insultou os homens de Davi, embora estes tivessem protegido os rebanhos e os pastores de Nabal. Talvez em especial por causa das ofensas dirigidas a seus homens, Davi estava decidido a retaliar com violência. Enquanto ele e seus homens estavam a caminho para atacar Nabal e sua família, um jovem relatou o fato a Abigail, a sensata esposa de Nabal, e a exortou a agir. Ela logo preparou um grande presente para Davi e foi ao seu encontro. Humildemente desculpou-se pela insolência de Nabal e apelou para o temor que Davi tinha a Jeová. Davi caiu em si e disse: “Bendita sejas tu que neste dia me contiveste de entrar em culpa de sangue.” — 1 Sam. 25:2-34. 
w10 15/6 3:9

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Cristo sofreu por vós, deixando-vos um modelo para seguirdes de perto os seus passos. — 1 Ped. 2:21.


Jeová nos ensina a promover o respeito e a união tanto na congregação como na família por estabelecer limites bem definidos quanto ao nosso modo de falar. “Não saia da vossa boca nenhuma palavra pervertida . . . Sejam tirados dentre vós toda a amargura maldosa, e ira, e furor, e brado, e linguagem ultrajante, junto com toda a maldade.” (Efé. 4:29, 31) Uma das maneiras de evitar a linguagem ofensiva é cultivar uma atitude mais respeitosa para com outros. Por exemplo, um homem que fala de modo abusivo com a esposa deve se esforçar em mudar de atitude, em especial depois de aprender que Jeová honra as mulheres. Deus até mesmo unge algumas delas com espírito santo, dando-lhes a perspectiva de reinar com Cristo. (Gál. 3:28; 1 Ped. 3:7) De modo similar, espera-se que a mulher que costuma gritar com o marido mude de proceder depois que aprende como Jesus se controlava quando era provocado. — 1 Ped. 2:22, 23.
 w10 15/9 3:13

Tenha um lindo dia
Rose

domingo, 8 de julho de 2012

Não vos escuseis. — Heb. 12:25.


Esse alerta contra a tendência de ‘se escusar’ de aceitar as responsabilidades dadas por Deus serve também para os cristãos atuais. Sabemos que devemos estar decididos a nunca negligenciar nossas obrigações cristãs ou diminuir nosso zelo no serviço de Deus. (Heb. 10:39) Afinal, prestar serviço sagrado é uma questão de vida ou morte. (1 Tim. 4:16) O que nos ajudará a não nos escusar de cumprir nossas obrigações para com Deus? Um modo importante de combater essa tendência é sempre meditar no significado do nosso voto de dedicação. Em essência, nós prometemos a Jeová dar prioridade a fazer a sua vontade na nossa vida, e queremos cumprir essa promessa. (Mat. 16:24) Assim, às vezes é preciso pausar e se perguntar: ‘Ainda estou tão decidido a viver à altura da minha dedicação a Deus como estava quando fui batizado? Ou será que perdi parte de meu zelo inicial desde então?’
 w10 15/4 4:5-7

sábado, 7 de julho de 2012

A palavra de Deus é viva e exerce poder. — Heb. 4:12.



A congregação cristã tem ajudado muitas pessoas a se livrarem de práticas degradantes. Na sua primeira carta à congregação em Corinto, o apóstolo Paulo falou das mudanças que cristãos locais fizeram para viver em harmonia com os padrões de Deus. Alguns haviam sido fornicadores, idólatras, adúlteros, homossexuais, ladrões, beberrões, e assim por diante. “Mas vós fostes lavados”, Paulo lhes disse. (1 Cor. 6:9-11) Pessoas sem fé carecem de sólidos princípios orientadores. Elas determinam seus próprios valores, ou ficam à deriva num oceano de indiferença moral, deixando-se levar pela conduta de outros, como faziam alguns daqueles antigos coríntios antes de se tornarem cristãos. (Efé. 4:14) O conhecimento exato da Palavra e dos propósitos de Deus, no entanto, tem a força de transformar para melhor a vida de todos os que aplicam as Escrituras. — Col. 3:5-10. 
w10 15/6 1:16, 17


Tenha um lindo dia 
Rose


sexta-feira, 6 de julho de 2012

Uma lição da palmeira



Uma lição da palmeira
“É UMA encantadora silhueta de extraordinária beleza.” É assim que uma enciclopédia bíblica descreve a tamareira. Nos tempos bíblicos e hoje, tamareiras embelezam o vale do Nilo no Egito e oferecem uma refrescante sombra em torno dos oásis do deserto do Negebe.
Como a maioria das espécies de palmeiras, a tamareira tem um notável tronco reto. Algumas delas atingem a altura de 30 metros e continuam a dar frutos durante 150 anos. Deveras, a tamareira é muito agradável à vista e espantosamente produtiva. Todo ano ela produz vários cachos de tâmaras. Apenas um cacho pode conter mais de 1.000 tâmaras. Certa autoridade escreveu a respeito das tâmaras: “Aqueles que . . . conhecem a tâmara apenas pelos espécimes secos do fruto, exibidos sob uma etiqueta na vitrina duma loja, dificilmente podem imaginar quão deliciosa ela é quando consumida fresca.”
Apropriadamente, a Bíblia compara certos humanos a tamareiras. Para agradar a Deus, a pessoa, assim como uma tamareira frutífera, precisa ser moralmente reta e tem de continuar a produzir boas obras. (Mateus 7:17-20) Por este motivo, figuras gravadas de palmeiras foram usadas como decoração tanto no templo de Salomão como no templo visionário de Ezequiel. (1 Reis 6:29, 32, 35; Ezequiel 40:14-16, 20, 22) De modo que, para a adoração de alguém ser aceitável a Deus, é preciso que ele tenha as características desejáveis da tamareira. A Palavra de Deus explica: “O próprio justo brotará como a palmeira.” — Salmo 92:12.

Deixa-me agora, para que a minha ira se acenda contra eles e eu os extermine, e faça eu de ti uma grande nação. — Êxo. 32:10.


Embora Jeová expressasse o que estava inclinado a fazer, essa não era sua decisão final. Na verdade, Jeová estava testando Moisés. Aproveitaria essa oportunidade para incentivar Jeová a esquecer Israel e fazer dos seus próprios descendentes uma nação poderosa? A reação de Moisés revelou sua fé e confiança na justiça de Jeová. A sua resposta não indicou interesse egoísta, mas sim preocupação com o nome de Jeová. Ele não queria que esse nome fosse difamado. Moisés mostrou assim que entendia “a mente de Jeová” a respeito desse assunto. (1 Cor. 2:16) Com que resultado? Visto que Jeová não estava firmemente decidido a tomar uma determinada ação, ele “começou a deplorar”. Em hebraico, essa expressão pode significar simplesmente que Jeová não trouxe a calamidade que havia declarado estar inclinado a trazer sobre a nação inteira. — Êxo. 32:11-14.
 w10 15/10 1:13, 15, 16



quinta-feira, 5 de julho de 2012

Faze meus olhos passar adiante de ver o que é fútil. — Sal. 119:37.


Como é preciosa a visão! Através dela percebemos a beleza, apreciamos as maravilhas da criação e colhemos evidências da existência e glória de Deus. (Sal. 8:3, 4; 19:1, 2; 104:24; Rom. 1:20) E, como importantíssimo canal de comunicação com a mente, a visão desempenha um papel vital na aquisição de conhecimentos sobre Jeová e na edificação de nossa fé nele. (Jos. 1:8; Sal. 1:2, 3) Mas as coisas para as quais olhamos podem também nos prejudicar. A ligação entre a visão e a mente é tão forte que aquilo que vemos pode despertar ou intensificar ambições e desejos no coração. Vivemos num mundo depravado e interessado apenas na autogratificação, um mundo governado por Satanás, o Diabo. Por isso somos bombardeados com imagens e propaganda que podem facilmente nos desviar do que é correto — mesmo se forem vistas só de relance. (1 João 5:19) Assim, não é de admirar que o salmista implorasse a Deus que o ajudasse, como expresso nas palavras do texto de hoje. 
w10 15/4 3:1, 2

Tenha um dia lindo.
Rose


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Cingi-vos de humildade mental uns para com os outros. — 1 Ped. 5:5.


Ao cuidar do rebanho de Deus, os homens designados na congregação devem mostrar boas qualidades. Romanos 12:10 diz: “Em amor fraternal, tende terna afeição uns para com os outros. Tomai a dianteira em dar honra uns aos outros.” Anciãos e servos ministeriais dão honra a outros. Como os cristãos em geral, esses homens ‘não devem fazer nada por briga ou por egotismo, mas, com humildade mental, considerar os outros superiores a eles’. (Fil. 2:3) Certamente, os que tomam a dianteira devem ‘considerar os outros superiores a eles’. Por agirem assim, os homens designados estarão seguindo o conselho de Paulo: “Nós, porém, os que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos que não são fortes, e não estar agradando a nós mesmos. Que cada um de nós agrade ao seu próximo naquilo que é bom para a edificação dele. Pois até mesmo o Cristo não agradou a si mesmo.” — Rom. 15:1-3. 
w10 15/5 1:13, 14


terça-feira, 3 de julho de 2012

Vou fazer meu espírito borbulhar para vós. — Pro. 1:23.


Será que podemos esperar que Deus nos conceda sua força ativa sem nenhum esforço de nossa parte? Não. Além de orar pedindo esse espírito, temos de nos nutrir diligentemente da Palavra inspirada de Deus. (Pro. 2:1-6) Ainda mais, o espírito de Deus está presente na congregação cristã. A nossa frequência às reuniões indica que desejamos ‘ouvir o que o espírito diz às congregações’. (Rev. 3:6) E é preciso aceitar e aplicar com humildade o que aprendemos. Deus sem dúvida dá seu espírito santo “aos que obedecem a ele como governante”. (Atos 5:32) Portanto, empenhe-se de coração em toda e qualquer designação. Sempre recorra a Jeová para ser bem sucedido. (Mar. 11:23, 24) Ao fazer isso, esteja certo de que “todo o que persistir em buscar, achará”. (Mat. 7:8) Os ungidos por espírito serão abençoados com “a coroa da vida” no céu. (Tia. 1:12) As “outras ovelhas” terão o prazer de ouvir Jesus dizer: “Vinde, vós os que tendes sido abençoados por meu Pai, herdai o reino preparado para vós.” — João 10:16; Mat. 25:34.
 w10 15/9 1:16, 18

Tenha um lindo dia
Rose

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O dinheiro é para proteção. — Ecl. 7:12.


A Palavra de Deus nos incentiva a dar valor ao dinheiro, não a amá-lo. (1 Tim. 6:9, 10) “O sábio escutará e absorverá mais instrução, e homem de entendimento é aquele que adquire orientação perita”, escreveu Salomão. (Pro. 1:5) Então, aprenda a administrar bem o dinheiro. Você logo ficará mergulhado em dívidas se comprar coisas por impulso ou gastar dinheiro só para impressionar os amigos. Quando se trata de gastar dinheiro, é preciso ter bom-senso. Ganhar e administrar dinheiro é parte importante da vida. Mas Jesus disse que a verdadeira felicidade pertence aos “cônscios de sua necessidade espiritual”. (Mat. 5:3) Ele alertou que o interesse da pessoa em assuntos espirituais pode ser sufocado por coisas como “o poder enganoso das riquezas”. (Mar. 4:19) Assim, é muito importante deixar-se guiar pela Palavra de Deus e manter um conceito equilibrado sobre dinheiro. 
w10 15/11 1:11-14

Tenha um lindo início de semana
Rose