terça-feira, 23 de julho de 2013

Qual é a verdade sobre Deus?

Será que Deus realmente se importa com você?
Como ele é? Ele tem nome?
É possível achegar-se a Deus?

Por que muitas vezes é bom fazer perguntas?

JÁ OBSERVOU como as crianças gostam de fazer perguntas? Muitas começam a fazer perguntas assim que aprendem a falar. Com olhos bem abertos e aguardando uma resposta, elas olham para você e perguntam coisas tais como: Por que o céu é azul? De que são feitas as estrelas? Quem ensinou os passarinhos a cantar? Você talvez se esforce em responder, mas isso nem sempre é fácil. Por melhor que seja a sua resposta, ela talvez resulte numa outra pergunta: Por quê?

 Mas não são só as crianças que fazem perguntas. À medida que crescemos, continuamos a fazer perguntas. Fazemos isso para achar o nosso rumo na vida, para saber os perigos que temos de evitar ou para satisfazer a nossa curiosidade. Mas parece que muitos desistem de fazer perguntas, em especial as mais importantes. Ou pelo menos desistem de procurar as respostas.


Rose: Quantas vezes olhamos para nosso filho ou para a carinha linda de meu sobrinho-neto e respondemos uma pergunta, para num instante ele já ter formulado outra para satisfazer a curiosidade de uma mente sedenta em aprender. E isso não para.... continuará por muito tempo o : Por quê?
Será que ao passo que crescemos nos esquecemos de quão importante é continuar a fazer perguntas?
Infelizmente observamos que muitos desistiram de perguntar ou de procurar respostas a perguntas importantes em suas vidas.
E você? Desistiu ou tem desejo de aprender?

Gostaria de saber sua opinião. Deixe seu comentário.


Fonte: jw.org

Um comentário:

  1. É verdade. Eu mesma fui deixando de fazer perguntas e fui me acostumando à ideia de que as coisas são do jeito que são porque é assim que devem ser. É difícil voltar a agitar o espírito com questões existenciais quando pensamos que já aceitamos os fatos. Acredito que todos nós sentimos falta de nossa tendência investigativa da infância. Bons tempos...

    ResponderExcluir

Como é bom compartilharmos nosso estudo pessoal.
Sinta-se a vontade para comentar.