terça-feira, 3 de novembro de 2015

Ele realmente invocará o mal . . . sobre o seu Deus. — Isa. 8:21.


Nos dias de Isaías, a nação de Judá se encontrava em apuros. Estava cercada de inimigos. A comida era escassa. Muitos passavam fome. Em vez de buscarem a ajuda de Jeová para lidar com essas aflições, eles começaram a ‘invocar o mal’ contra o seu rei e o seu Deus. Eles culparam a Jeová por seus problemas. Se formos afligidos por causa de uma tragédia ou de problemas pessoais, será que também diremos no coração: ‘Onde estava Jeová quando precisei dele?’ Por não terem todos os fatos, os israelitas nos dias de Ezequiel achavam que o caminho de Jeová ‘não era acertado’. (Eze. 18:29) É como se eles tivessem se constituído juízes de Deus, confiando em seu entendimento limitado dos acontecimentos. Se às vezes não entendemos bem um relato bíblico ou como as coisas acontecem na nossa vida, será que achamos no coração que o caminho de Jeová é injusto, ‘não acertado’? — Jó 35:2. w13 15/8 2:8, 9

Fonte: http://www.jw.org/pt/

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Sede como livres, contudo, mantende a vossa liberdade, não como disfarce para a maldade, mas como escravos de Deus. — 1 Ped. 2:16.


Para vivermos à altura de nossa dedicação, precisamos vencer alguns obstáculos. Estamos numa luta contra dois inimigos. Paulo descreveu o primeiro inimigo, ao dizer: “Eu realmente me deleito na lei de Deus segundo o homem que sou no íntimo, mas observo em meus membros outra lei guerreando contra a lei da minha mente e levando-me cativo à lei do pecado que está nos meus membros.” (Rom. 7:22, 23) Nós também enfrentamos a imperfeição herdada. Por isso, precisamos lutar constantemente contra nossas tendências carnais. O segundo inimigo é este mundo sob influência demoníaca. Satanás, o governante do mundo, direciona seus ataques contra nós, tentando fazer com que quebrantemos nossa lealdade a Jeová e a Jesus. Ele quer que sejamos seus escravos, usando tentações para nos levar a ceder à sua influência corrompedora. (Efé. 6:11, 12) Uma tática que Satanás usa para isso é fazer o mundo parecer atraente, fascinante. — 1 João 2:15, 16. w13 15/10 2:5, 6

Fonte: http://www.jw.org/pt/




sábado, 31 de outubro de 2015

Provérbios 3:5,6


Confiar em Deus. 
A confiança é fundamental para ter uma boa relação com Jeová. Salomão escreveu: “Confia em Jeová de todo o teu coração e não te estribes na tua própria compreensão. Nota-o em todos os teus caminhos, e ele mesmo endireitará as tuas veredas.” (Provérbios 3:5, 6) Confiar em Deus por buscar a sua orientação e obedecê-Lo acrescenta profundo significado à vida. Agindo assim, um ser humano pode alegrar o coração de Jeová e fornecer-Lhe uma resposta às questões levantadas por Seu adversário, Satanás. — Provérbios 27:11.



segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Não negues o bem àqueles a quem é devido. — Pro. 3:27.

Confusão, depressão, incontinência e perda da audição, da visão e da memória podem ser resultado do envelhecimento; mas esses problemas de saúde talvez possam ser tratados. (Ecl. 12:1-7) Busque ajuda médica assim que um desses problemas surgir. Os filhos talvez precisem tomar a iniciativa nessa questão. Em algum momento, eles talvez tenham de começar a resolver o que antes eram os assuntos pessoais dos pais. Para que os pais recebam os cuidados adequados, os filhos talvez tenham de se tornar seus advogados, secretários, motoristas, e assim por diante. Depois, talvez sejam necessários ajustes em seus cuidados e moradia. Quanto menores as mudanças, mais fáceis serão os ajustes. No entanto, caso os idosos não fiquem seguros sozinhos, talvez seja necessária uma assistência mais permanente. Qualquer que seja a situação, procure descobrir que serviços estão disponíveis localmente. — Pro. 21:5.
 w14 15/3 4:10, 11


sábado, 15 de agosto de 2015

Contigo está a fonte da vida. — Sal. 36:9.


A vida é uma grande dádiva de Jeová. Ao usá-la para fazer sua vontade, recebemos muitas bênçãos agora e temos a perspectiva de vida eterna no novo mundo. (Pro. 10:22; 2 Ped. 3:13) Mas como isso é possível em vista das trágicas consequências da desobediência de Adão? Jeová é de fato o Grande Provisor de incontáveis maneiras. Por exemplo, sua benignidade imerecida o motivou a nos salvar. Todos nós somos pecadores e herdamos a imperfeição. (Rom. 3:23) Apesar disso, Jeová, por amor, abriu caminho para que tivéssemos uma relação achegada com ele. O apóstolo João escreveu: “Por meio disso é que se manifestou o amor de Deus em nosso caso, porque Deus enviou o seu Filho unigênito ao mundo, para que ganhássemos a vida por intermédio dele. O amor é neste sentido, não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício propiciatório pelos nossos pecados.” — 1 João 4:9, 10. 
w14 15/2 3:6, 7


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Deus opõe-se aos soberbos, .......Tia. 4:6.


A boa comunicação no casamento é como águas tranquilas de um riacho que atravessa um jardim. Ser “humildes na mente” desempenha um papel-chave em manter essas águas fluindo. (1 Ped. 3:8) “A humildade é o caminho mais rápido para resolver divergências porque o move a dizer: ‘Me desculpe’”, diz um irmão casado há 11 anos. O orgulho, no entanto, é tudo menos conciliador. Ele sufoca a comunicação porque elimina tanto o desejo como a coragem de pedir desculpas. Em vez de dizer humildemente “me desculpe; por favor me perdoe”, a pessoa orgulhosa procura se justificar. Em vez de corajosamente reconhecer uma fraqueza, ela aponta para as falhas da outra pessoa. Quando magoada, em vez de buscar a paz, ela se ofende e talvez retalie com palavras duras ou silêncio gélido. (Ecl. 7:9) De fato, o orgulho pode ser fatal para o casamento. w13 15/5 3:13, 14


quarta-feira, 5 de agosto de 2015

‘Rogamos: “Sede reconciliados com Deus.”’


‘Rogamos: “Sede reconciliados com Deus.”’ — 2 Cor. 5:20.

Para muitos é uma grande honra receber uma recompensa por uma realização notável. Por exemplo, alguns receberam o Prêmio Nobel por sua atuação zelosa em estabelecer paz entre partes hostis ou alienadas. Mas é uma honra muito maior ser enviado por Deus como embaixador ou emissário para ajudar as pessoas a estabelecer relações pacíficas com o Criador. Como Testemunhas de Jeová, temos essa honra excepcional. Estamos sendo usados por Jeová para atrair pessoas a ele. É desse modo que milhões delas em mais de 235 terras têm sido ajudadas a ter uma boa relação com Deus, e com isso a esperança de ganhar vida eterna. (Tito 2:11) Com zelo sincero, convidamos a ‘quem quiser a tomar de graça a água da vida’. (Rev. 22:17) Visto que prezamos essa designação valiosa e a executamos com diligência, podemos corretamente ser chamados de povo “zeloso de obras excelentes”. — Tito 2:14. w13 15/5 2:1, 2



quinta-feira, 30 de julho de 2015

Tu és Jeová, o verdadeiro Deus


Tu és Jeová, o verdadeiro Deus, que escolheste a Abrão . . . e passaste a cumprir as tuas palavras porque és justo. — Nee. 9:7, 8.

Deus prometeu a Abraão que seus descendentes herdariam a terra de Canaã. Os humanos muitas vezes esquecem o que prometem, mas isso não acontece com Jeová. O nome Jeová significa “Ele Causa que Venha a Ser”. Isso quer dizer que Deus, por meio de ações progressivas, faz com que suas promessas se tornem realidade. Um belo exemplo disso são os tratos de Deus com os descendentes de Abraão quando eles eram escravos dos egípcios. Naquela época, parecia impossível que a nação inteira seria libertada e estabelecida na Terra Prometida. No entanto, por meio de uma série de ações progressivas, Deus fez com que sua promessa se tornasse realidade, provando assim que ele está à altura de seu nome exclusivo e ilustre: Jeová. Que nós imitemos o nosso justo Deus por sempre nos esforçar em cumprir nossa palavra. — Mat. 5:37. w13 15/10 3:10, 11






quinta-feira, 5 de março de 2015