sexta-feira, 13 de maio de 2011

Como Ter uma Família Feliz - Resolver problemas




Ele diz: “Onde estão as nossas filhas?”
Ela diz: “Estão no ‘shopping’ comprando roupas.”
Ele diz: [Irritado e falando alto] “‘Comprando roupas’? Mas elas compraram roupas o mês passado!”
Ela diz: [Na defensiva, sentindo-se magoada e acusada] “Mas está tendo uma liquidação. De qualquer maneira, elas me pediram primeiro, e eu disse que podiam ir.”
Ele diz: [Perdendo o controle e gritando] “Você sabe que eu não gosto quando as meninas gastam dinheiro sem me consultar! Como tomou essa decisão sem falar comigo?”

QUE problemas você acha que o casal citado acima precisa resolver? É óbvio que o marido tem dificuldade em controlar a raiva. Além disso, o casal parece discordar de quanta liberdade suas filhas devem ter. E parece que eles têm um problema de comunicação.
Nenhum casamento é perfeito. Todos os casais terão problemas de algum tipo. Não importa se os problemas são grandes ou pequenos, é essencial que o marido e a esposa aprendam a resolvê-los. Por quê?
Com o tempo, problemas não resolvidos podem se tornar barreiras que bloqueiam a comunicação. “Há contendas que são como a tranca duma torre de habitação”, observou o sábio Rei Salomão. (Provérbios 18:19) Como você pode abrir o caminho para uma comunicação mais eficaz ao lidar com problemas?
Se dissermos que a comunicação é o sangue de um casamento, então o amor e o respeito são o coração e os pulmões do relacionamento, ou seja, “órgãos” essenciais para o fluxo da boa comunicação. (Efésios 5:33) Quando se trata de resolver problemas, o amor motivará o casal a não levar em conta erros passados — com seus resultantes danos emocionais — e a concentrar-se no problema que enfrentam no momento. (1 Coríntios 13:4, 5; 1 Pedro 4:8) O cônjuge que mostra respeito permite que o outro se expresse livremente e se esforça para prestar atenção no significado por trás do que é dito, não apenas nas palavras.
Quatro passos para resolver problemas
Considere os quatro passos alistados a seguir e observe como princípios bíblicos podem ajudar você a resolver problemas de modo amoroso e respeitoso.
1. Marque uma hora para conversar sobre o problema. “Para tudo há um tempo determinado, . . . tempo para ficar quieto e tempo para falar.” (Eclesiastes 3:1, 7) Conforme mostra a discussão já mencionada, alguns problemas podem trazer à tona fortes emoções negativas. Se isso acontecer, controle-se e diga ao seu cônjuge que é bom darem um tempo — para ‘ficarem quietos’ — antes que a situação piore. Você pode evitar muitos danos ao seu relacionamento se acatar o seguinte conselho bíblico: “O começo de uma briga é como a primeira rachadura numa represa: é bom parar antes que a coisa piore.” — Provérbios 17:14, Bíblia na Linguagem de Hoje.
Mas também há um “tempo para falar”. Problemas, assim como ervas daninhas, florescem quando são ignorados. Então, não desconsidere o problema, esperando que ele simplesmente desapareça. Se você pediu para darem um tempo na discussão, mostre respeito pelo seu cônjuge por marcar uma hora a fim de logo conversarem sobre o problema. Fazer isso pode ajudar ambos a aplicar o princípio por trás do conselho bíblico: “Não se ponha o sol enquanto estais encolerizados.” (Efésios 4:26) Naturalmente, você precisa cumprir a sua palavra.
TENTE O SEGUINTE: Marque uma hora específica para que toda semana vocês possam conversar sobre problemas familiares. Se você sabe que numa certa hora do dia fica irritado com mais facilidade — por exemplo, quando chega do trabalho ou antes de comer — combine não discutir problemas nessas horas. Em vez disso, escolha uma hora em que ambos provavelmente estejam menos estressados.
2. Diga o que sente de maneira honesta e respeitosa. “Falai a verdade, cada um de vós com o seu próximo.” (Efésios 4:25) Se você é casado, o seu próximo mais achegado é o seu cônjuge. Assim, seja honesto e específico sobre seus sentimentos ao se expressar. Margareta, casada há 26 anos, diz: “Quando eu era recém-casada, esperava que meu marido soubesse automaticamente como eu me sentia quando surgia um problema. Aprendi que isso era irrealístico. Agora tento dizer com clareza o que sinto e o que penso.”
Lembre-se de que seu objetivo ao discutir um problema não é vencer uma guerra ou conquistar um inimigo, mas apenas deixar que seu cônjuge saiba o que você pensa sobre o assunto. Para conseguir isso, diga, na sua opinião, qual é o problema, depois quando ele acontece, e então explique como você se sente a respeito disso. Por exemplo, se costuma se irritar com a bagunça que seu cônjuge faz, pode dizer com jeito: ‘Quando você chega do trabalho e deixa a sua roupa no chão [quando ocorre e qual é o problema], eu sinto que meus esforços para cuidar da casa não são reconhecidos [explique exatamente como você se sente].’ Daí, com tato, dê sua opinião sobre como solucionar o problema.
TENTE O SEGUINTE: Para ajudá-lo a ter bem em mente o que vai conversar com seu cônjuge, escreva o que você acha ser o problema e como gostaria de resolvê-lo.
3. Escute o seu cônjuge e leve em conta os seus sentimentos. O discípulo Tiago escreveu que os cristãos devem ser ‘rápidos no ouvir, vagarosos no falar, vagarosos no furor’. (Tiago 1:19) Poucas coisas causam mais infelicidade no casamento do que a impressão de que seu cônjuge não entende como você se sente a respeito de um problema. Assim, esteja determinado a não dar essa impressão ao seu cônjuge. — Mateus 7:12.
Wolfgang, casado há 35 anos, diz: “Fico tenso quando discutimos problemas, especialmente quando sinto que minha esposa não entende meu modo de pensar.” Dianna, casada há 20 anos, admite: “Muitas vezes me queixo ao meu marido que ele não me escuta quando discutimos problemas.” Como você pode superar esse obstáculo?
Não suponha que você sabe o que seu cônjuge está pensando ou sentindo. “Pela presunção só se causa rixa, mas há sabedoria com os que se consultam mutuamente”, diz a Palavra de Deus. (Provérbios 13:10) Mostre respeito pelo seu cônjuge por não interrompê-lo quando ele fala. Daí, para ter certeza de que você entendeu o que foi dito, repita em suas próprias palavras o que ouviu, sem ser sarcástico ou agressivo. Permita que seu cônjuge lhe corrija caso você não tenha entendido direito alguma coisa. Não domine a conversa. É bom que os dois sigam esses passos até que ambos concordem que entenderam os pensamentos e os sentimentos um do outro sobre o assunto.
É verdade que é preciso humildade e paciência para prestar atenção ao que seu cônjuge diz e levar em conta sua opinião. Mas se tomar a iniciativa em mostrar tal respeito pelo seu cônjuge, ele estará mais disposto a respeitar você também. — Mateus 7:2; Romanos 12:10.
TENTE O SEGUINTE: Ao repetir o que seu cônjuge disse, não use mecanicamente as mesmas palavras que ele ou ela usou. Com empatia, tente expressar o que você entendeu das palavras e dos sentimentos de seu cônjuge. — 1 Pedro 3:8.
4. Entre num acordo com seu cônjuge. “Melhor dois do que um, porque eles têm boa recompensa pelo seu trabalho árduo. Pois, se um deles cair, o outro pode levantar seu associado.” (Eclesiastes 4:9, 10) Poucos problemas num casamento serão resolvidos a menos que o marido e a esposa trabalhem juntos e apóiem um ao outro.
É verdade que Jeová designou o marido como cabeça da família. (1 Coríntios 11:3; Efésios 5:23) Mas ser chefe da família não significa ser tirano. Um marido sábio não tomará decisões sem levar em conta a opinião de sua esposa. David, casado há 20 anos, diz: “Eu tento encontrar um ponto de acordo com minha esposa e chegar a uma solução que seja boa para nós dois.” Tanya, casada há 7 anos, diz: “A questão não é quem está certo ou quem está errado. Às vezes, há apenas opiniões diferentes sobre como resolver um problema. Eu descobri que o que dá certo é ser flexível e razoável.”
TENTE O SEGUINTE: Criem um espírito de equipe por anotarem todas as diferentes soluções possíveis para determinado problema. Quando não tiverem mais idéias, dêem uma olhada na lista e coloquem em prática a solução que os dois acharem melhor. Daí, marquem uma hora para que, no futuro próximo, vocês possam ver se a decisão foi cumprida e até que ponto ela deu certo.
Cooperem um com o outro
Jesus comparou o casamento a um jugo. (Mateus 19:6) Em seus dias, um jugo era uma viga de madeira que mantinha dois animais juntos para que pudessem realizar o trabalho. Se os animais não cooperassem, o trabalho não renderia, e o jugo causaria irritação em seus pescoços. Se trabalhassem juntos, poderiam puxar cargas pesadas ou arar um campo.
Da mesma forma, o marido e a esposa que não conseguem trabalhar como equipe podem ficar “irritados” sob o jugo do casamento. Por outro lado, se aprendem a cooperar um com o outro, conseguem resolver quase todos os problemas e obter bons resultados. Kalala, que tem um casamento feliz, resume o assunto assim: “Por 25 anos, eu e minha esposa resolvemos nossos problemas por conversar de maneira franca, nos colocar no lugar um do outro, orar pedindo a ajuda de Jeová e aplicar os princípios bíblicos.” Será que você pode fazer o mesmo?
PERGUNTE-SE . . .
▪ Sobre que problema eu mais gostaria de conversar com meu cônjuge?
▪ Como posso ter certeza de que entendo o que meu cônjuge realmente pensa sobre o assunto?
▪ Se eu sempre insistir em fazer as coisas do meu jeito, que problemas posso criar?

Sentinela 01/05/2008 - Resolver problemas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como é bom compartilharmos nosso estudo pessoal.
Sinta-se a vontade para comentar.