quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Alegre-se com o Que Deus Provê - Eclesiastes 3


Eclesiastes 3

1 Para tudo há um tempo determinado, sim, há um tempo para todo assunto debaixo dos céus: 2 tempo para nascer e tempo para morrer; tempo para plantar e tempo para desarraigar o que se plantou; 3 tempo para matar e tempo para curar; tempo para derrocar e tempo para construir; 4 tempo para chorar e tempo para rir; tempo para lamentar e tempo para saltitar; 5 tempo para lançar fora pedras e tempo para reunir pedras; tempo para abraçar e tempo para manter-se longe dos abraços; 6 tempo para procurar e tempo para dar por perdido; tempo para guardar e tempo para lançar fora; 7 tempo para rasgar e tempo para costurar; tempo para ficar quieto e tempo para falar; 8 tempo para amar e tempo para odiar; tempo para guerra e tempo para paz. 9 Que vantagem tem o realizador naquilo em que trabalha arduamente?
10 Vi a ocupação que Deus deu aos filhos da humanidade para se ocuparem nela. 11 Tudo ele fez bonito no seu tempo. Pôs até mesmo tempo indefinido no seu coração, para que a humanidade nunca descobrisse o trabalho que o [verdadeiro] Deus tem feito do começo ao fim. 12 Vim saber que não há nada melhor para eles do que alegrar-se e fazer o bem durante a sua vida; 13 e também que todo homem coma e deveras beba, e veja o que é bom por todo o seu trabalho árduo. É a dádiva de Deus.
14 Vim saber que tudo o que o [verdadeiro] Deus faz mostrará ser por tempo indefinido. Não há nada a acrescentar-lhe e não há nada a subtrair-lhe; mas, o próprio [verdadeiro] Deus o fez para que as pessoas tivessem medo por causa dele.
15 O que veio a ser, já tem sido, e o que virá a ser, já veio a ser; e o próprio [verdadeiro] Deus continua a procurar aquilo pelo qual há empenho.
16 E além disso, vi debaixo do sol o lugar do juízo onde havia iniqüidade e o lugar da justiça onde havia iniqüidade. 17 Eu mesmo disse no meu coração: “O [verdadeiro] Deus julgará tanto o justo como o iníquo, pois há um tempo para todo assunto e referente a todo trabalho ali.”
18 Eu é que disse no meu coração, com respeito aos filhos da humanidade, que o [verdadeiro] Deus vai selecioná-los, para que vejam que eles mesmos são animais. 19 Pois há um evento conseqüente com respeito aos filhos da humanidade e um evento conseqüente com respeito ao animal, e há para eles o mesmo evento conseqüente. Como morre um, assim morre o outro; e todos eles têm apenas um só espírito, de modo que não há nenhuma superioridade do homem sobre o animal, pois tudo é vaidade. 20 Todos vão para um só lugar. Todos eles vieram a ser do pó e todos eles retornam ao pó. 21 Quem é que conhece o espírito dos filhos da humanidade, se ele vai para cima; e o espírito do animal, se ele vai para baixo, para a terra? 22 E eu vi que não há nada melhor do que o homem alegrar-se com o seu trabalho, porque este é seu quinhão; pois, quem o fará entrar para ver o que vai ser após ele?


-------------------------

Alegre-se com o Que Deus Provê


Qual é então o proceder aconselhável a seguir? Salomão recomenda obter usufruto sadio da vida, ver o bem resultante do trabalho árduo, em vez de tentar em vão alterar o que Deus proveu. Lemos as suas palavras adicionais: “Vim saber que não há nada melhor para eles do que alegrar-se e fazer o bem durante a sua vida; e também que todo homem coma e deveras beba, e veja o que é bom por todo o seu trabalho árduo. É a dádiva de Deus. Vim saber que tudo o que o verdadeiro Deus faz mostrará ser por tempo indefinido. Não há nada a acrescentar-lhe e não há nada a subtrair-lhe; mas, o próprio verdadeiro Deus o fez para que as pessoas tivessem medo por causa dele.” — Ecl. 3:12-14; 5:18.
Os assuntos humanos, inclusive o nascimento e o falecimento, ocorrem dentro duma estrutura humanamente imutável. Isto continuará enquanto servir ao propósito de Deus. Portanto, evidentemente, é com referência a haver “um tempo para todo assunto debaixo dos céus” que Salomão disse: “Vim saber que tudo o que o verdadeiro Deus faz mostrará ser por tempo indefinido.” (Ecl. 3:14) O homem simplesmente não pode fazer nada a respeito do estado das coisas que existem na terra, quer por permissão de Deus, quer por orientação dele. Por exemplo, o poderoso Rei Nabucodonosor foi obrigado a reconhecer: “Todos os habitantes da terra são considerados como simplesmente nada, e ele age segundo a sua própria vontade entre o exército dos céus e os habitantes da terra. E não há quem lhe possa deter a mão ou quem lhe possa dizer: ‘Que estás fazendo?’” (Dan. 4:35) Nenhum esforço de acrescentar ou tirar algo será bem sucedido, visto que a norma geral de vida na terra continua por causa da permissão e do propósito de Deus. O fato de que todo o alcance da obra de Deus, neste campo, não é humanamente compreensível deve encher a humanidade de temor ou espanto reverente.
Ao mesmo tempo, a história humana mostra que, nos acontecimentos na terra, há ciclos repetitivos de nascimento e morte, guerra e paz, riso e choro, e assim por diante. Estes ciclos repetitivos ligam o passado com o presente e o futuro. Por isso, Salomão podia dizer: “O que veio a ser, já tem sido, e o que virá a ser, já veio a ser.” As suas próximas palavras, porém, não são tão facilmente entendíveis. Salomão declarou: “O próprio verdadeiro Deus continua a procurar aquilo pelo qual há empenho.” (Ecl. 3:15) Isto se pode referir ao fato de que os iníquos amiúde fazem empenho de perseguir os justos. Deus ‘procura’ o bem de seus servos, e, visto que exerceu e exerce pleno controle sobre o passado, o presente e o futuro, pode fazer com que os perseguidores iníquos sejam apanhados pelos seus males e pode executar justiça a favor dos justos. Ou pode significar que, embora os ciclos repetitivos continuem e não pareça haver nada de novo, podemos ter a certeza de que Deus, não obstante, faz empenho de executar seu bom propósito. Portanto, embora o homem possa ser incapaz para controlar certas circunstâncias, o Altíssimo sempre pode resolver os assuntos nos melhores interesses de seus servos obedientes.
Isto é consolador, porque neste mundo imperfeito não se deve esperar que os homens façam justiça em cada caso. Salomão descreveu muito bem esta situação: “Além disso, vi debaixo do sol o lugar do juízo onde havia iniqüidade e o lugar da justiça onde havia iniqüidade.” (Ecl. 3:16) Espera-se corretamente a justiça por parte dum tribunal. Mas pode haver suborno e parcialidade, tornando impossível que muitos recebam o que lhes é devido. Como podem todas estas injustiças ser retificadas? Salomão responde: “O verdadeiro Deus julgará tanto o justo como o iníquo, pois há um tempo para todo assunto e referente a todo trabalho ali.” (Ecl. 3:17) Portanto, em vez de ficar perturbado com o que acontece no mundo, a pessoa sábia espera pacientemente por Deus, o qual agirá no Seu tempo designado e para o bem duradouro de Seu povo fiel. — 1 Sam. 26:7-10; Sal. 37:12, 13.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como é bom compartilharmos nosso estudo pessoal.
Sinta-se a vontade para comentar.