segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Texto diário



 É claro que, em muitos casos, podemos pessoal e diretamente atender às necessidades de idosos, enfermos, hospitalizados ou de outros atribulados em nosso meio. Se divisarmos um modo de mostrar verdadeiro cristianismo, por que não ir em frente e tentar ajudar? (Atos 9:36-39) A nossa motivação não é a pressão de outros, mas sim o amor cristão. O primeiro ingrediente para qualquer ajuda prática é termos genuíno interesse e compaixão. Naturalmente, nenhum de nós pode fazer retroceder o tempo para os idosos, curar doenças por meio de milagres ou nivelar a situação econômica de todos na congregação. Mas, definitivamente, devemos ter o espírito de preocupação e de dar. Se o tivermos, e se agirmos concordemente, isto fortalecerá o vínculo de amor entre nós e os ajudados. Foi isto o que aconteceu entre Paulo e Onésimo, este um cristão relativamente novo que ‘ministrava a Paulo’ na prisão. — Filêmon 10-13; Colossenses 3:12-14; 4:10, 11.

Sentinela 15/10/86- Faça mais do que dizer: Mantende-vos aquecidos.

Um comentário:

  1. Amor, essa palavra simplesmente é um sentimento que não tem como descrever, mas apenas sentir, se dizemos que amamos devemos agir de acordo com falamos e não deixar apenas em palavras.

    ResponderExcluir

Como é bom compartilharmos nosso estudo pessoal.
Sinta-se a vontade para comentar.