quarta-feira, 13 de junho de 2012

Não te faço nenhuma injustiça. — Mat. 20:13.


Na ilustração a respeito dos trabalhadores num vinhedo, Jesus fala de um dono de vinhedo que paga o mesmo a todos os seus trabalhadores, quer tenham trabalhado o dia inteiro quer apenas uma hora. (Mat. 20:8-16) Parece justo? Na verdade o dono do vinhedo tratou todos os trabalhadores como pessoas dignas de ganhar o sustento. Embora essa situação pudesse ser encarada como lei da oferta e procura, sem escassez de trabalhadores, o dono do vinhedo não se aproveitou deles por oferecer-lhes menos do que era justo. Todos os seus trabalhadores voltaram para casa com o suficiente para alimentar a família. Levar esses pontos em conta pode mudar o nosso conceito sobre as ações do dono do vinhedo. A sua decisão foi amorosa e não um arbitrário abuso de autoridade. O que isso nos ensina? Que considerar apenas alguns dos fatos pode nos levar a tirar precipitadamente conclusões erradas. Sem dúvida, essa parábola destaca a superioridade da justiça de Deus, que não se baseia apenas em dispositivos jurídicos e méritos pessoais. 
w10 15/10 2:12, 14

Tenha um bom dia
Rose

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como é bom compartilharmos nosso estudo pessoal.
Sinta-se a vontade para comentar.